10 superalimentos que lhe vão dar energia extra

Do ponto de vista nutricional, não existem superalimentos.

Este termo tem sido amplamente utilizado em campanhas de marketing cujo objetivo é influenciar as tendências alimentares e vender produtos.

A indústria alimentar confere o rótulo de superalimento a alimentos ricos em nutrientes com uma suposta capacidade de impactar positivamente a saúde.

Embora muitos alimentos possam ser descritos como “super” por, efetivamente, serem nutricionalmente muito ricos, é importante entender que não existe um alimento que seja a chave para uma boa saúde ou prevenção de doenças.

Uma alimentação variada e equilibrada será sempre a melhor opção. Porém, incluir estes alimentos na sua dieta, vai trazer-lhe mais vitalidade e energia.

Neste artigo, descrevemos-lhe os 10 superalimentos que podem realmente ser dignos do famoso título de superalimento. Tome nota:

 

Clínicas BodyScience
Especialistas em Nutrição e Medicina Estética

 

1. Vegetais de folhas verdes escuras 

Os vegetais de folhas verdes escuras são uma excelente fonte de nutrientes, incluindo folato, zinco, cálcio, ferro, magnésio, vitamina C e fibras.

Parte do que torna estes alimentos tão incríveis é o seu potencial para reduzir o risco de doenças crónicas, como doenças cardíacas e diabetes tipo 2.

As folhas verdes também contêm altos níveis de compostos anti-inflamatórios conhecidos como carotenóides, capazes de nos proteger contra vários tipos de inflamações.

Alguns vegetais de folhas verdes escuras que pode incluir na sua dieta alimentar:

  • Couve galega
  • Couve Kale
  • Acelga
  • Espinafres
  • Nabiça

Algumas destas folhas podem ter um sabor amargo, como a nabiça, mas existem várias formas de as cozinhar e comer, tirando o melhor partido de cada uma delas. Tente incluí-las regularmente nas suas refeições e vai ver a sua energia a aumentar.

 

 

2. Frutos vermelhos

Os frutos vermelhos são uma fonte de alimentação nutricional de vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes e por isso são considerados alimentos de alta densidade energética.

A sua forte capacidade antioxidante está associada a um risco reduzido de doenças cardíacas, cancro e outras condições inflamatórias.

Alguns frutos vermelhos mais comuns incluem:

Quer aprecie estes frutos ao pequeno-almoço, como sobremesa, salada ou em batidos, os seus benefícios para a saúde são tão versáteis quanto as suas aplicações culinárias.

 

 

3. Ovos

Os ovos continuam a ser um dos alimentos mais saudáveis da roda alimentar e não há evidências científicas de que o seu consumo aumente os níveis de colesterol ou seja prejudicial para a saúde em geral.

 

 

Na verdade, comer ovos pode aumentar o colesterol HDL “bom” em algumas pessoas, o que pode levar a uma redução favorável do risco de doenças cardíacas. Os ovos são ricos em muitos nutrientes, incluindo vitaminas B, colina, selénio, vitamina A, ferro e fósforo e ainda estão carregados de proteínas de alta qualidade.Contêm também dois antioxidantes potentes: zeaxantina e luteína – conhecidos por protegerem a visão e a saúde dos olhos.

Os ovos são versáteis, deliciosos e simples de preparar. É fácil de perceber por que motivo são vistos como superalimentos que nos dão energia e excelentes aliados nos processos de perda de peso.

 

4. Frutos secos e sementes

Os frutos secos e as sementes são alimentos ricos em fibras, proteínas e gorduras saudáveis.

São compostos vegetais com propriedades antiinflamatórias e antioxidantes, que podem proteger contra o stress oxidativo e têm um efeito protetor contra doenças cardiovasculares.

Alguns frutos secos e sementes que pode incluir na sua dieta:

  • Amêndoas, nozes, pistachos, castanhas de caju, castanhas do Brasil, castanha do pará, nozes de macadâmia, cajus, avelãs e amendoins
  • Sementes de girassol, sementes de abóbora, sementes de chia, sementes de cânhamo, sementes de abóbora, sementes de sésamo e linhaça

 

 

5. Gengibre

O gengibre é usado tanto como intensificador de sabor culinário como pelos seus múltiplos efeitos medicinais.

A raiz de gengibre contém antioxidantes, como o gingerol, que são muito benéficos para a nossa saúde.

Este superalimento pode ser eficaz para controlar náuseas e reduzir a dor de condições inflamatórias agudas e crónicas.

Pode encontrá-lo fresco, na forma de óleo ou sumo e em pó. É fácil de incorporar em sopas, salteados, molhos e combina muito bem com a maioria dos chás.

 

6. Cúrcuma 

A cúrcuma é uma especiaria amarela que está intimamente relacionada com o gengibre. Originário da Índia, é utilizado na culinária e os seus benefícios medicinais são vastos.

A curcumina – composto ativo da cúrcuma – tem potentes efeitos antioxidantes e antiinflamatórios e é o foco da maioria das pesquisas em torno do açafrão.

Esta tem-se revelado altamente eficaz no tratamento e prevenção de doenças crónicas, como doenças cardíacas e diabetes. Além disso, também ajuda na cicatrização de feridas e na redução da dor.

Uma desvantagem em usar a curcumina para fins medicinais é que ela não é facilmente absorvida pelo corpo, mas a sua absorção pode ser aumentada se combinada com gorduras ou outras especiarias, como a pimenta-do-reino.

 

7. Abacate

O abacate é um alimento muito popular pelo seu sabor e textura únicos, bem como pelo seu impressionante perfil nutritivo, contendo um alto teor de potássio, folato e vitaminas C e K.

Embora os abacates sejam considerados alimentos ricos em calorias, estão carregados de fibras e gorduras insaturadas saudáveis para o coração e podem mantê-lo saciado durante um longo período de tempo – perfeito para quem quer perder peso.

Os abacates podem trazer uma textura cremosa e sabor rico a tostas, saladas, sopas ou ovos mexidos. 

 

 

8. Kimchi e chucrute

Kimchi é um ingrediente comum na culinária coreana. Normalmente, consiste em vegetais fermentados e salgados, como repolho e rabanete.

Chucrute é a versão europeia deste prato, também tipicamente feito com repolho fermentado.

Como outros alimentos fermentados, o kimchi e o chucrute são ótimas fontes de probióticos, um tipo de bactéria benéfica também encontrada no nosso intestino que auxilia em vários aspetos da saúde.

Para incluir mais probióticos na sua dieta, experimente incluir kimchi nas suas refeições. Chucrute combina com wraps e hambúrgueres e também com vários tipos de queijos.

Ao escolher kimchi e chucrute, evite variedades que contenham conservantes ou açúcar adicionado, bem como aqueles que foram pasteurizados.

 

9. Batata-doce

A batata-doce é uma raiz vegetal carregada de inúmeros nutrientes, incluindo potássio, fibra e vitaminas A e C.

Também é uma boa fonte de carotenóides, um tipo de antioxidante que ajuda a reduzir o risco de certos tipos de cancro.

Apesar do seu sabor doce, este tipo de batata não aumenta os níveis de açúcar no sangue como se pode imaginar. Curiosamente, pode inclusive estabilizar estes níveis de glicose em pessoas com diabetes tipo 2.

 

10. Chá verde

O chá verde é uma fonte potente de polifenóis e antioxidantes. É rico em antioxidantes como quercetina, ácido clorogênico e teogalina.

Este famoso chá, é também muito rico em galato de epigalocatequina, um antioxidante que potencia a perda de peso, impulsiona o metabolismo basal e reduz a gordura localizada na barriga, quando tomado em doses altas.

Alcançar a saúde ideal através da alimentação e da nutrição é mais do que focar-se num só alimento ou numa tendência alimentar.

Em vez disso, a boa saúde é melhor sustentada pela ingestão de uma variedade de alimentos nutritivos todos os dias.

Incluir alguns ou todos os alimentos desta lista como parte de uma dieta balanceada pode ser muito benéfico para a sua saúde geral.

Que outro superalimento conhece? Partilhe connosco nos comentários.

Partilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pesquisar

Conhece o método Bodyscience?

Siga-nos no Instagram

Siga-nos nas redes sociais

Conquiste a beleza
de um corpo saudável

Marque já a sua consulta

e avaliação gratuita.

A mudança começa aqui.

Conhecimento Partilhado

Artigos
Relacionados

Mais de 50.000 pessoas confiam nas nossas Clínicas

Realização de uma Avaliação Corporal Completa;

Análise Perfil Clínico e Hábitos Alimentares;

Diagnóstico do Problema e Prescrição do tratamento;