9 dicas para escolher o protetor solar certo para si

Diferentes tipos de pele merecem diferentes cuidados. Se já o faz no que ao seu creme diário diz respeito, fazê-lo em relação ao protetor solar é apenas o passo seguinte. Além disso, o Verão não é a única altura do ano em que deve apostar na proteção da pele contra os raios mais nocivos. Escolher o protetor solar ideal para si não é um “bicho de sete cabeças”. Tem apenas de seguir algumas regras e ter em atenção alguns pormenores.

[pub title=”Clínicas BodyScience” subtitle=”A beleza de um corpo saudável”]

O que precisa de saber para escolher o protetor solar ideal

1. O que são raios UVA e UVB?

Os raios UVA são os grandes responsáveis pelo envelhecimento da pele e pelo cancro cutâneo, enquanto os raios UVB são os que provocam o chamado escaldão, ou seja, o vermelho da pele. Os raios UVA estão, segundo os dermatologistas, presentes durante todo o ano; penetram profundamente na pele e estão, inclusivamente, presentes nas câmaras de bronzeamento artificial em quantidades mais altas do que na radiação solar. Por outro lado, a radiação UVB é parcialmente absorvida pela camada atmosférica e apenas a restante é absorvida pela pele.

2. O que é o FPS?

Quando estiver a escolher o seu protetor solar, um dos primeiros pontos a que deve prestar atenção é ao FPS, ou Fator de Proteção Solar. Este fator mede o tempo que a pele exposta ao sol demorará a ficar vermelha. Esse tempo depende, claro, do tipo de pele e do próprio horário de exposição solar. Ora, quanto mais clara for a pele e quanto maior for a intensidade da radiação solar, menor é esse tempo.

3. Que FPS devo escolher?

A proteção solar está agrupada em quatro categorias: fraca (de 6 a 10), média (de 15 a 25), alta (de 30 a 50) e muito alta (+50), estando sempre dependente do tom da pele que vai usar o protetor solar.
Se tem pele muito clara – e se tem sardas –, esta queimará com muita facilidade. Nestes casos, deve evitar a exposição solar entre as 12h e as 16h e usar diariamente um creme de elevada proteção (FPS 50+).
A pele clara a ligeiramente morena não deixa de requerer cuidados, sendo necessário um protetor solar com FPS entre 30 e 50.
A pele morena tolera bem o sol, devendo utilizar um protetor solar com fatores entre os 15 e os 30.
Por último, quem tem uma pele muito morena não deve descurar a proteção. Utilizar um protetor solar entre os 6 e os 15 FPS é fundamental para manter a hidratação e o cuidado da pele.

4. Que cuidados ter com os bebés e crianças?

Os cuidados a ter com os bebés e crianças são redobrados. Com uma pele muito sensível, as horas de maior calor (entre as 10h e as 16h) são de exposição altamente desaconselhada. Além disso, deve ser utilizado um protetor solar 50+, de preferência de uma gama especializada em cuidados de bebés e crianças.

5. Devo escolher um protetor solar químico ou físico?

Quando encontrar um protetor solar com filtros físicos, saiba que estamos a falar de partículas que atuam através de mecanismos óticos, refletindo ou dispersando os raios solares. Apresentam como vantagem o facto de serem mais estáveis e de não penetrarem com tanta facilidade a barreira natural da pele, sendo ideais para quem tem alergias ou sensibilidade cutânea.
Por outro lado, um protetor solar com filtros químicos, os mais comuns, absorvem a radiação UV mas transformam-na em calor. Como “saturam” a capacidade do corpo absorver energia ao longo do tempo, é necessário aplicar protetor solar com mais frequência, caso a exposição seja prolongada.

6. Devo usar protetor solar labial?

Protetor solar labial é extremamente importante para proteger os lábios do sol. Como a pele labial não bronzeia, fica constantemente exposta às agressões solares, daí ser de primordial importância recorrer a uma linha especializada para garantir a segurança dos lábios, estando sempre recomendado um protetor solar com FPS máximo, o 50+.
O protetor solar labial deve ser aplicado de hora a hora e depois de comer, beber e sair da água.

7. Loção, óleo ou spray?

Os dermatologistas acreditam que, seja qual for a forma do protetor solar, o resultado será o mesmo. Assim, a única diferença para o utilizador está na forma que melhor se adapta ao seu estilo de vida. Na verdade, a forma em que é apresentado serve apenas para tornar a sua aplicação o mais agradável possível.

8. Existem protetores solares resistentes à água?

Estudos indicam que a ação do protetor solar fica comprometida ao fim de dez minutos de imersão sob água. Por isso mesmo, as indicações dermatológicas remetem para uma renovação da aplicação do protetor solar assim que se sai da água, para garantir a sua eficácia.

9. Posso diminuir o fator de proteção à medida que vou ficando bronzeada?

Ao contrário do que muitas pessoas fazem, o fator de proteção da pele deve manter-se elevado, independentemente do grau de bronze. A pele bronzeia-se, na verdade, para se defender dos raios ultravioleta, sendo, por isso, uma manifestação da agressão solar na pele. Ainda que a pele vá adquirindo uma defesa própria, a agressão é contínua, daí dever-se manter o mesmo índice de proteção, dependendo do tipo de pele.

Oferecemos as soluções mais inovadoras, eficazes e seguras para si.
Descubra os tratamentos não invasivos.


Marque Já a sua Consulta de Avaliação Gratuita

Partilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pesquisar

Conhece o método Bodyscience?

Siga-nos no Instagram

Siga-nos nas redes sociais

Conquiste a beleza
de um corpo saudável

Marque já a sua consulta

e avaliação gratuita.

A mudança começa aqui.

Conhecimento Partilhado

Artigos
Relacionados

Mais de 50.000 pessoas confiam nas nossas Clínicas

Realização de uma Avaliação Corporal Completa;

Análise Perfil Clínico e Hábitos Alimentares;

Diagnóstico do Problema e Prescrição do tratamento;