Sociedade

Brincadeiras na água: 8 dicas para prevenir acidentes

O calor e o bom tempo convidam a um mergulho e miúdos e graúdos mal podem esperar pela oportunidade! Para além de permitir passar bons momentos a água é um pólo de grande atração em todas as idades e talvez por isso os afogamentos são a 2ª causa de morte acidental. Perto de água não facilite e tenha em conta o seguinte: 1. Verifique - perto dos locais onde as crianças brincam e onde vão passar os seus tempos livres ou as férias - se existem piscinas, tanques ou poços. Estes devem estar devidamente protegidos com vedações ou tampas resistentes (no caso do poços). 2. Se utilizar piscinas insufláveis despeje-as logo após a sua utilização e vire-as para baixo. Se isto não for possível, por serem grandes demais, vede-as como as restantes. Uma criança pequena afoga-se em menos de um palmo de água. 3. Nas brincadeiras na água ou perto de locais com água as crianças mais pequenas devem ter sempre uma supervisão próxima e ativa de um adulto. As que não sabem andar bem devem usar braçadeiras. 4. Os brinquedos flutuantes – como colchões ou boias – não devem ser deixados na piscina pois chamam a atenção das crianças. Para além disso, a...

Continuar a ler

A Europa vai ter uma epidemia em 2030: a obesidade

Um problema de saúde atual na Europa vai tornar-se numa verdadeira epidemia em 2030. A obesidade vai provocar “uma grave crise” no ‘velho continente’, alerta a Organização Mundial de Saúde. Em alguns países, quase todos os adultos irão apresentar um peso excessivo. A Europa está a empurrar o problema com a barriga, avisa a Organização Mundial de Saúde (OMS): a obesidade é um fenómeno real e, por volta de 2030, será mesmo uma epidemia. As projeções ontem divulgadas em Praga, a cidade que acolheu o Congresso Europeu sobre Obesidade, mostram que o fenómeno tem tendência a agravar-se nos próximos 15 anos. “A Europa será confrontada com uma grande crise”, avisaram os especialistas da OMS. Num estudo realizado pelo escritório regional europeu da OMS, que tem sede na Dinamarca, os irlandeses aparecem como os mais penalizados pela futura evolução da obesidade. Em 2010, 74 por cento dos homens estavam acima do peso e 26 por cento são obesos, mas as taxas vão disparar para os 89 e48 por cento em 2030. Ainda na Irlanda, as projeções mostram que a taxa referente às mulheres obesas vai agravar-se para os 57 por cento. As indicações são semelhantes para o Reino Unido, onde a...

Continuar a ler

Dadores recebem SMS quando o seu sangue salva vidas

A Suécia encontrou uma forma original de agradecer aos dadores de sangue e de os relembrar da sua importância. No âmbito de uma iniciativa inovadora, estes benfeitores começaram a receber, automaticamente, uma SMS no telemóvel sempre que o seu sangue é utilizado para salvar a vida de alguém. A notícia é avançada, em exclusivo, pelo jornal britânico The Independent, que falou com a responsável pela comunicação do serviço de colheitas de sangue de Estocolmo, capital sueca.De acordo com a publicação, sempre que doam, os dadores são agraciados um "obrigado" via mensagem de texto, recebendo mais uma SMS de cada vez que a sua dádiva é usada em prol da saúde de outra pessoa. "Estamos constantemente a tentar encontrar formas de expressar a importância dos dadores. Queremos dar-lhes 'feedback' pelos seus esforços e achamos que este é um bom método para o fazer", conta Karolina Blom Wiberg, daquele serviço, em entrevista ao The Independent.  Segundo Blom Wiberg, estas mensagens - que se têm tornado um êxito nas redes sociais e chamado a atenção para a falta de reservas nos bancos de sangue - recordam os dadores da ajuda que dão aos outros cidadãos, o que os encoraja a voltar. "É uma ótima sensação saber que...

Continuar a ler

Os seus filhos acham que tem preferência por algum deles? Saiba como proceder

Pais devem falar com filhos e desmistificar ideia de irmãos preferidos, diz psicóloga autora do livro "O Filho Preferido" Os filhos têm, por vezes, perceção de que os pais preferem um dos irmãos, o que pode ser falso, mas é decisivo que os adultos conversem com os mais novos para evitar comportamentos problemáticos no futuro, disse à agência Lusa, a psicóloga Fátima Almeida, uma das autoras do livro "O Filho Preferido". "Se não houver uma comunicação direta, aberta, honesta entre pais e filhos, se os pais tiverem a perceção de que podem transmitir essa ideia e não conversarem com os filhos sobre isso, se não desmistificarem a questão da preferência, é provável que haja alguns comportamentos e atitudes de ambas as partes que vão refletir-se na relação familiar". Por isso, salientou, é essencial falar sobre o assunto independentemente da idade da criança. "O diálogo é a base de tudo, se a comunicação com as crianças for simples, franca e honesta elas percebem, muitas vezes mais cedo do que nós achamos", apontou Fátima Almeida, referindo que, "mesmo essa falsa perceção de preferência, pode iniciar-se muito cedo, no primeiro ou segundo ano de vida da criança" e depois vai juntando mais informação...

Continuar a ler

10 coisas que deve fazer para que tenha uma vida mais longa

Uma alimentação equilibrada, exercício físico e rir (rir muito) fazem parte de uma lista de coisas que podem aumentar os seus anos de vida aumentando a probabilidade de chegar, por exemplo, aos 100 anos. •1. Correr Os benefícios do exercício físico são amplamente discutidos, mas investigadores da Universidade de Stanford, na Califórnia, destacam a importância específica da corrida. Vários atletas e não-atletas foram acompanhados ao longo de 21 anos, e as conclusões não enganam: os primeiros correm menos riscos de sofrer paragens cardíacas, cancro, infeções e doenças neurológicas. Segundo os investigadores, mesmo o jogging mais descontraído pode valer-lhe mais cinco ou seis anos de vida. E para quem não gosta de correr, há alternativa: um estudo de 2012 da Copenhagen City Heart concluiu que apenas 20 minutos por dia de qualquer tipo de atividade física podem fazer a diferença. •2. Um prato com todas as cores Os vegetais verdes e roxos são fundamentais para a prevenção de Alzheimer. Já os brócolos, a couve-flor e o repolho levam à redução do risco de morte por doenças cardiovasculares. As carnes vermelhas devem ser consumidas em pequenas porções. Destaque-se, ainda, a dieta mediterrânica: a relevância do peixe e dos vegetais faz com que os idosos tenham 20%...

Continuar a ler

Falta dos pais afeta cérebro das crianças

Muitos milhões de pais em mães, ao redor do mundo, são obrigados a deixarem os filhos para de deslocarem em busca de trabalho ou de melhores condições de vida. Mas este fenómeno poderá ter consequências nefastas para o futuro das crianças, já que a ausência dos progenitores impede o seu desenvolvimento cerebral em moldes normais. O alerta foi feito, no encontro anual da Sociedade Norte Americana de Pediatria, através de um trabalho levado a cabo por investigadores chineses, que procuraram analisar o impacto das migrações de adultos na saúde dos filhos que, por vezes, ficam meses e anos a cargo de outras pessoas que não os pais. Neste estudo da universidade chinesa de Sichuan, liderado pelo investigador Su Lui, a equipa contou com a participação de 38 crianças, entre os sete e treze anos, que viveram durante longos períodos de tempo afastados dos pais e um grupo de controlo de 30 crianças, entre os sete e os catorze anos, que viviam com os pais. Todos os participantes foram submetidos a ressonâncias magnéticas. Segundo o portal “Alert”, foi comparada o volume da massa cinzenta nos dois grupos e medido o quociente de inteligência (QI) de cada participante de forma a avaliar...

Continuar a ler

Estamos cada vez mais altos e inteligentes

Um estudo avaliou populações de todo o mundo e concluiu que estamos a ficar cada vez mais altos e com competências mentais mais apuradas, dá conta um estudo publicado na revista “Nature”. Cerca de 100 estudos foram realizados por todo o mundo que incluíram dados de cerca de 350 mil pessoas de comunidades rurais e citadinas. Aparentemente, os filhos de pessoas com uma genética mais diversificada têm tendência a ser mais altos e inteligentes do que as gerações anteriores. A genética diversificada não mostrou, no entanto, ter influência noutro tipo de fatores como a pressão arterial ou os níveis de colesterol, que contribuem para o desenvolvimento de doença cardíaca, diabetes ou outras condições. Ao que parece a evolução está a favorecer as pessoas mais altas e com capacidades cognitivas mais desenvolvidas. Estudos como este “mostram o potencial da análise genética de larga escala em revelar informação fundamental sobre a história da nossa evolução”, explica Jim Wilson, da Universidade de Edimburgo. Peter Joshi, da mesma universidade, mostra entusiasmo pelo facto de a investigação da sua equipa responder a questões que já foram colocadas por Darwin acerca dos benefícios da diversidade genética e realça que o próximo passo será debruçarem-se sobre “as...

Continuar a ler

Um quarto dos adolescentes dorme menos de sete horas por noite

Um quarto dos adolescentes dorme menos de sete horas por noite e apenas 20% dormem mais de nove horas, revela um estudo realizado pela Associação Portuguesa de Cronobiologia e Medicina do Sono (APCMS). Neste estudo, os investigadores tentaram identificar as características do sono nos adolescentes, tendo para tal contado com a participação de 354 jovens de várias escolas do país. Segundo o estudo, ao qual a agência Lusa teve acesso, a maioria dos adolescentes (cerca de 67%) dorme entre sete e nove horas. De acordo com os especialistas, este número de horas “é insuficiente”, uma vez que o ideal seria dez horas, e comporta “riscos reais” para os jovens, como mau desempenho escolar e adoção de comportamentos desviantes. Em declarações à agência Lusa, o presidente da associação e coordenador do estudo, Miguel Meira e Cruz, referiu que estes dados “não são surpresa”, mas “vêm cimentar a preocupação que existe sobre a restrição e privação do sono” nos adolescentes. Miguel Meira e Cruz referiu que “os adolescentes não têm grandes regras para ir para a cama, fisiologicamente também estão mais propensos para se deitarem mais tarde”. Por outro lado, têm muito mais focos de atenção, como as saídas à noite, estudar...

Continuar a ler

7 hábitos comuns das pessoas confiantes

A confiança é a qualidade das pessoas que vivem uma vida plena e não deixam os medos e hesitações limitá-los em vários aspetos da vida. Aqui estão alguns hábitos comuns de pessoas confiantes que você pode querer começar a desenvolver agora.  1 - Linguagem corporal Muitas pessoas podem ler a linguagem corporal e entender a natureza do caráter, sem falar com a pessoa que ela está interessada. As poses e posturas geralmente refletem o humor e o nível de confiança da pessoa. É fácil notar uma pessoa altamente confiante, mesmo num grande grupo de pessoas. As pessoas confiantes sentem-se poderosas e influenciam os outros usando a sua linguagem corporal. Normalmente mantêm um contacto visual com a pessoa que estão a falar. 2 - Sorriem para os outros As pessoas confiantes tratam a vida de uma forma positiva e compartilham o seu bom humor e sorrisos com as pessoas ao seu redor. Não importa se elas conhecem essas pessoas ou não. Além disso, pessoas altamente confiantes podem facilmente lidar com estranhos. Elas acreditam que o poder do sorriso pode ajudá-las a resolver problemas rapidamente, gostam de ser simpáticas com pessoas que conhecem há pouco tempo. Você também pode fazer o mesmo. Se sorrir, provavelmente vai sentir-se mais...

Continuar a ler

11 razões para sorrir, escolha a sua!

Descubra 11 razões porque deve sorrir:   1) Faz bem ao humor: A nossa expressão facial não só mostra aos outros como nos sentimos, como influencia a nossa forma de estar e o nosso humor. Estudos recentes citados no site norte-americano Huffington Post explicam que “mostrar sentimentos positivos – ou suprimir os negativos – através das expressões faciais ajuda-nos a interiorizar” esses mesmos sentimentos. 2) Ajuda a reduzir o stress: Um estudo de 2012, publicado no jornal Psychological Science e realizado por cientistas da University of Kansas, explica que sorrir pode ajudar a reduzir os níveis de stress. Os investigadores pediram a 170 pessoas que colocassem ‘pauzinhos’ na boca, de forma a criarem vários tipos de sorrisos – uns mais expressivos do que outros – após terem realizado tarefas ‘stressantes’. Comparando com os voluntários que se mantiveram ‘neutros’, o estudo revelou que as pessoas que sorriam mais mostravam um abrandamento do ritmo cardíaco e uma redução nos níveis de stress. 3) Torna-nos mais acessíveis: Um estudo de 2004, realizado pela Penn State University, mostra que a partilha de sorrisos no local de trabalho (no que diz respeito apenas ao atendimento ao público) influencia a opinião dos que nos rodeiam (de uma...

Continuar a ler

Já nos segue no Instagram?

Page Title
Marque já a sua consulta gratuita

Mais de 50.000 pessoas confiam nas nossas Clínicas

  • Realização de uma Avaliação Corporal Completa;
  • Análise Perfil Clínico e Hábitos Alimentares;
  • Diagnóstico do Problema e Prescrição do tratamento;