Barriga inchada: O que fazer para desinchar

“Tenho muitos gases e barriga inchada” é a sua principal queixa? Então, tenha atenção, pois pode ser sinal de outros problemas de saúde.

Muito mais do que questões estéticas, a barriga muito inchada causa incómodos que podem significar alguns problemas de saúde. Por isso é que, por muito que se esforce para reduzir o perímetro abdominal, não vê resultados.

Quais serão, afinal, os problemas que podem estar associados ao inchaço abdominal e que impedem de ter a barriga lisa com que sempre sonhou? Descubra-os neste artigo.

 

medicina estética e nutrição

 

Quando ocorre a barriga inchada e dura?

De um modo geral, a barriga inchada ocorre quando o trato gastrointestinal está cheio de ar ou de gás. Por isso, as principais sensações poderão ser o enfartamento ou aperto, além do inchaço abdominal. 

 

Quais são os sintomas de barriga inchada?

Além do inchaço, os sintomas de barriga inchada e dura costumam ser:

  • Dor;
  • Gases excessivos (flatulência);
  • Arrotos frequentes;
  • Ronco abdominal.

Uma vez que este é um problema que pode interferir na sua qualidade de vida, é importante que possa consultar um profissional de saúde para saber o que provoca gases e barriga inchada, para poder tratar de forma adequada.

 

 

Barriga inchada no período menstrual é normal?

Em alguns casos, durante o período da Tensão Pré-Menstrual (TPM) e da menstruação podem surgir dores nos ovários e barriga inchada.

Embora algumas mulheres considerem ser um sinal de alerta, ter a barriga muito inchada no período menstrual ocorre por causa da acumulação de líquidos na zona abdominal durante esta fase.

Com o final da menstruação, o inchaço costuma desaparecer.

 

O que pode causar barriga inchada e dura? 

Apesar de se considerar que este é um problema exclusivo de quem tem excesso de peso, é comum existir uma pessoa magra com barriga inchada. Porquê? Devido a algum fator, que normalmente, inclui:

  • Acumulação de gases;
  • Tomar alguns medicamentos, como é o caso dos antibióticos;
  • Gravidez (a barriga fica inchada abaixo do umbigo, devido ao aumento do volume do útero);
  • Má alimentação (por exemplo, consumir refrigerantes em excesso ou comer demasiado, levando a que a barriga fique inchada depois de comer);
  • Obstipação (prisão de ventre);
  • Intolerância alimentar (por exemplo, à lactose, presente nos lacticínios, ou ao glúten);
  • Síndrome do Intestino Irritável (por norma, acompanhado de cólicas, gases e dores);
  • Doença inflamatória intestinal, tal como colite ulcerosa e doença de Crohn;
  • Diverticulite (inflamação e infeção do trato digestivo pode resultar em distensão e inchaço da barriga);
  • Gastrite;
  • Cancro no estômago.

 

barriga inchada e dura

 

Barriga dura e inchada pode ser sinal de outras doenças?

Apesar de o inchaço abdominal se dever a fatores relacionados com o estilo de vida, a verdade é que a barriga muito inchada pode ser sinal de outras doenças graves, tais como:

  • Acúmulo de fluido patológico na cavidade abdominal (Ascite) como resultado de cancro (por exemplo, cancro de ovários), doença hepática, insuficiência renal ou insuficiência cardíaca congestiva;
  • Doença celíaca ou intolerância ao glúten;
  • Insuficiência pancreática (digestão prejudicada pela incapacidade de produção de enzimas digestivas suficientes);
  • Perfuração do trato gastrointestinal com escape de gás, bactérias do trato GI normal e outros conteúdos para a cavidade abdominal.

De um modo geral, consegue-se eliminar os gases e a barriga inchada fazendo algumas mudanças no estilo de vida, como por exemplo, perder peso.

 

Barriga inchada: O que fazer para desinchar?

Para desinchar a barriga inchada deve:

  • Comer devagar;
  • Limitar a ingestão de refrigerantes;
  • Evitar alimentos que causam gases;
  • Privilegiar laticínios sem lactose caso tenha intolerância à lactose.

 

Ingerir probióticos ajudam a desinchar a barriga?

De acordo com um estudo publicado pelo Journal of Neurogastroenterology and Motility, os probióticos têm um efeito eficaz na redução do inchaço da barriga, com uma concordância de 70%.

Porquê? Porque probióticos repovoam o seu intestino de bactérias saudáveis, o que pode ajudar a reduzir a barriga inchada.

Pode encontrar probióticos nos iogurtes kefir e nos iogurtes gregos, disponíveis em várias superfícies comerciais.

 

Clínicas Bodyscience - Instagram

 

Como diminuir a barriga inchada? 10 Dicas infalíveis

Para reduzir a barriga inchada, deve seguir as seguintes dicas. Em pouco tempo, verá resultados impressionantes.

 

1. Beber água reduz a barriga inchada

Quando existe retenção de líquidos, a tendência é de haver um aumento de peso repentino e barriga inchada.

Por isso, é importante aumentar a ingestão de água diariamente. Assim, favorece o trânsito intestinal, fazendo diminuir o volume abdominal.

Para que possa sentir estes benefícios no seu corpo, é importante ingerir a quantidade de água adequada a si. Mas, revelamos-lhe já, deve beber, no mínimo, entre 1,5 a 2 litros de água por dia.

De modo a ajudar a aumentar a ingestão de água, escolha um chá para a barriga inchada. Por exemplo, chá verde é bom para barriga inchada.

 

2. Reduzir o consumo de alimentos com sal

Não é necessário abolir este condimento, no entanto, é importante reduzi-lo. Não só ajuda a diminuir a sensação de barriga inchada, como também melhora a saúde em geral.

Uma forma de diminuir o consumo de sal no seu dia-a-dia é eliminar os alimentos processados e substituir este condimento por outras especiarias.

 

 

3. Eliminar os refrigerantes e comida processada

Tal como sabe, o gás presente nos refrigerantes e noutras bebidas gaseificadas fica no interior do organismo. Como resultado, provocam barriga inchada e flatulência.

Por outro lado, os produtos processados, como os chocolates, a comida pré-cozinhada ou as bolachas, são ricos em sal, açúcar e gordura, ingredientes que podem levar ao mau funcionamento gastrointestinal e provocam desconforto e inchaço abdominal.

 

4. Controlar o consumo de laticínios

A intolerância à lactose pode provocar inchaço abdominal.

Na verdade, o que faz a barriga ficar inchada é o facto de algumas pessoas não produzirem lactase na quantidade necessária para digerir a lactose.

Como tal, ocorre o desconforto, a distensão abdominal e a flatulência.

Em substituição dos lacticínios, pode optar por fazer a sua bebida vegetal em casa. Verá que o seu galão ou meia de leite ficarão igualmente saborosos!

 

5. Privilegiar as frutas

Além de serem responsáveis pelo aporte diário de vitaminas e minerais, as frutas são alimentos ricos em fibras, sendo as melhores amigas do organismo e da saúde. Além disso, são a base de uma alimentação saudável.

Para tratar a barriga inchada, o primeiro passo é colocar o sistema digestivo a funcionar como um relógio. Como tal, a fruta é a forma de o conseguir.

Esqueça as bebidas milagrosas ou os suplementos alimentares, porque basta incluir uma peça de fruta nas suas refeições para regular o seu trânsito intestinal.

 

 

6. Comer devagar reduz a barriga inchada e dura

Comer depressa faz com que a sua barriga fique inchada, pois aumenta quantidade de ar ingerido, um dos principais motivos para surgir o inchaço abdominal.

Além disso, ao comer muito rápido, é muito provável que esteja a ingerir mais comida do que aquela que o seu corpo necessita para funcionar adequadamente.

Dado que a informação de que está satisfeito demora a chegar ao cérebro, já terá comido além do que era suposto.

Resultado? Barriga muito inchada, desconforto abdominal e mau-estar geral.

 

7. Apostar nos depurativos naturais

Dê preferência aos depurativos naturais, isto é, a alimentos para a barriga inchada.

Alimentos como:

  • O abacate;
  • O kiwi;
  • O limão;
  • Os espargos;
  • A maçã;
  • O melão;
  • A meloa;
  • A beterraba;
  • O pepino;
  • A alcachofra;
  • O aipo;
  • A salsa;
  • O rabanete;
  • A toranja;
  • O gengibre;
  • O ananás ajudam a reduzir o inchaço da barriga pelas suas propriedades depurativas.

 

8. Fazer exercício físico 

Não há como fugir: para perder a barriga inchada, precisa de se manter ativo. Como tal, faça exercícios cardiovasculares e complemente com exercícios localizados.

Além de ajudar a reduzir o inchaço abdominal, o exercício físico melhora o funcionamento digestivo, regula o trânsito intestinal, combate a retenção de líquidos e reduz números à roupa e à balança.

Para ter sucesso, escolha um desporto que goste. Do Yoga ao CrossFit, do Basquetebol às Danças de Salão, da corrida à natação, das aulas de Zumba às aulas de Cycling, as opções são vastas. O mais importante é que se mantenha ativo. 

 

9. Massajar a barriga

De acordo com um estudo de 2014, com uma amostra de 80 pessoas com Ascite, a quem foram dadas massagens abdominais de 15 minutos, duas vezes por dia, durante três dias, mostrou que as massagens ajudaram a diminuir o desconforto do inchaço da barriga.

Além disso, melhoram a depressão, a ansiedade e o bem-estar geral.

 

10. Realizar tratamentos estéticos não-invasivos para reduzir a barriga inchada

Procura resultados rápidos? Então, a medicina estética é a melhor forma para alcançar os seus objetivos. Os seguintes tratamentos são verdadeiramente eficazes no tratamento da gordura localizada:

Curiosa em relação à Lipoaspiração Não invasiva? Descubra qual é o preço da Lipoaspiração Não Invasiva.

Curiosa em relação à Criolipólise? Descubra qual é o preço da Criolipólise.

 

Pronta para acabar com o inchaço abdominal?

Visite-nos numa das Clínicas BodyScience em Lisboa, Porto, Braga e Póvoa de Varzim.

Clique no botão abaixo para marcar uma consulta de avaliação gratuita e comece já a trabalhar para acabar com a barriga inchada!

Partilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pesquisar

Conhece o método Bodyscience?

Siga-nos no Instagram

Siga-nos nas redes sociais

Conquiste a beleza
de um corpo saudável

Marque já a sua consulta

e avaliação gratuita.

A mudança começa aqui.

Conhecimento Partilhado

Artigos
Relacionados

Mais de 50.000 pessoas confiam nas nossas Clínicas

Realização de uma Avaliação Corporal Completa;

Análise Perfil Clínico e Hábitos Alimentares;

Diagnóstico do Problema e Prescrição do tratamento;